Breaking News

Dieta Hiperproteica

A dieta que está dando o que falar nas redes sociais, ultimamente, é a dieta hiperproteica. Vamos descobrir como funciona, se vale a pena seguir à risca, quais são os benefícios e malefícios!

A dieta hiperproteica é uma dieta rica em proteínas, com diversas restrições alimentares para se chegar ao peso ideal rapidamente. Carboidratos estão estritamente proibidos, adeus massa, pães, bolos, etc.

Essa dieta deixa as pessoas um pouco desconfiadas, afinal, é saudável ou não? Vale a pena? Qual o sacrifício necessário para perder alguns quilinhos? Confira abaixo!

Como Funciona Dieta Hiperproteica?

A dieta hiperproteica, como o nome já indica, é uma dieta rica em proteínas. A prioridade aqui é dada ao consumo de carnes e laticínios e são proibidos os carboidratos, doces e a maioria das frutas. E ela promete a perda de, pelo menos, três quilos por semana, quando seguida à risca.

A dieta promete resultados rápidos e também promete queimar gorduras sem a perda de músculos, por conta do alto consumo de proteína. São os dois principais objetivos da dieta. Com a ingestão de proteína logo pela manhã, inibe o apetite ao longo do dia, o nosso apetite. Com uma redução na retenção de líquidos, o emagrecimento é ainda mais rápido.

Para seguir a dieta hiperproteica, é fundamental ter o acompanhamento de um profissional que possa observar os riscos e aconselhar sobre a dieta.

De fato a dieta faz emagrecer, mas a qual custo? Dietas que restringes grupos inteiros de alimentos, normalmente acabam desregulando nossos níveis de nutrientes, causando efeitos colaterais. E o pior de tudo, quando voltamos ao nosso dia-a-dia, ganhamos o peso de volta, pois não é humanamente possível manter uma vida saudável evitando alimentos importantes para o nosso desenvolvimento.

Prazo:

É muito importante lembrar que a dieta hiperproteica é recomendada por um período de 15 dias, e não mais do que isso. Duas semanas são o tempo necessário para a perda de peso sem maiores efeitos colaterais.

Por se tratar de uma dieta extremamente restringente e rígida, há falta de minerais e vitaminas fundamentais para o funcionamento do nosso organismo. E ficar sem esses alimentos por mais tempo pode causar danos à saúde.

O acompanhamento médico é sempre indicado, principalmente ao final da dieta, para elevar os níveis de vitaminas e minerais, tanto como introduzir lentamente os alimentos novamente à sua dieta. Proceda com cuidado.

Alimentos Permitidos: por restringir o consumo de carboidratos radicalmente, o aumento do consumo de proteínas magras é essencial, como filé de frango sem pele, peito de peru, peixes, etc.

Além de proteínas, as gorduras também devem estar presentes na dieta hiperproteica. Elas ajudam a controlar o apetite e as gorduras saudáveis são fundamentais para o funcionamento e saúde do nosso corpo. As gorduras “boas” são as gorduras insaturadas. Elas previnem doenças cardiovasculares ajudando na saúde do coração, e estão presentes em nozes, salmão, abacate, azeite de oliva extra virgem, sardinha e atum. Mantenha esses alimentos no seu cardápio!

Frutas, legumes e verduras tem algumas restrições. A maior parte das verduras podem ser consumidas durante a dieta hiperproteica, porém algumas frutas e legumes devem ser restringidos.

Os legumes que contém um teor maior de amido devem ser evitados, eles são as batatas, abóbora e mandioca. Está permitido o consumo de escarola, berinjela, espinafre, couve, pimentão alface e abobrinha. Eles devem fazer parte da dieta, em geral, pois são alimentos ricos em vitaminas e minerais, e além de tudo, quase não contém níveis de carboidratos.

Quanto às frutas, elas devem ser quase totalmente removidas do cardápio diário da dieta hiperproteica. As exceções são as frutas que possuem um baixo índice glicêmico, as menos adocicadas e que não elevarão o nível de açúcar no sangue, como a maçã, framboesa e morango.

Ainda assim, essas frutas contém carboidratos e devem ser ingeridas com extrema moderação se o objetivo é emagrecer bastante durante a dieta hiperproteica. Experimente comer tais frutas quando houver desejo por comer doce, e se possível, para retardar o tempo de digestão e logo, prolongar os efeitos de saciedade, consuma as frutas junto com alguma fonte proteica.

Carboidratos: a dieta hiperproteica restringe radicalmente o consumo de carboidratos. Carboidratos são fontes de energia, mas quando não gastos através de exercício, eles são transformados em gordura, causando aumento de peso.

Apesar de ser uma das melhores fontes de energia, se ingerido em excesso e se o consumo não for acompanhado por atividade física, o consumo desses alimentos, tão intrínsecos na cultura brasileira como arroz, massa, pão, se tornam os nossos inimogos mortais.

A adaptação no início da dieta pode ser um pouco lenta, já que esses alimentos que ingerimos diariamente são proibidos.

Frutas e Verduras: a dieta hiperproteica permite o consumo de frutas e verduras, afinal, esses alimentos são fundamentais para uma alimentação saudável. Porém, há restrições mesmo nas frutas e verduras presentes na dieta.

Atividade Física: a dieta hiperproteica, essencialmente deve ser acompanhada por exercício físico, como a maioria das dietas. Acrescentando uma caminhada de 30 minutos por dia, ou uma sessão do seu exercício físico preferido, os resultados serão vistos mais rapidamente.

Queima de Gorduras: quando cortamos os carboidratos da nossa dieta, o organismo é obrigado a recorres a outras fontes de energia, como gordura e proteína. Pelo fato de estar seguindo uma dieta hiperproteica, você não correrá o risco de o seu corpo começar a queimar músculos como forma de gerar energia. O organismo passará a queimar gorduras para gerar energia suficiente para manter o corpo funcionando. Porém, pela falta de alguns nutrientes, não é saudável manter esse estado de queima de gordura por tempo prolongado. Por esse e outros motivos, a dieta hiperproteica não é recomendada por mais de duas semanas.

Exemplos de Cardápio:

Para que a dieta tenha o efeito máximo, é importante prestar muita atenção na quantidade dos alimentos consumidos. Por exemplo, carboidratos devem ser consumidos no máximo em 50g por dia, e que venha de fontes naturais e saudáveis como legumes ou verduras. Cereais e leguminosas, como arroz, feijão e aveia devem ser evitados.

Café da Manhã:

Opção 1: Iogurte natural (sem açúcar) + omelete de claras + 1 copo de leite desnatado.

Opção 2: Fatias de peito de peru + 1 fatia de queijo + iogurte natural (sem açúcar).

Lanche da manhã:

Opção 1: Nozes (3 ou 4 unidades).

Opção 2: Uma fatia de queijo (caso prefira algo doce, experimente misturar um pedaço de queijo branco com dois ou três morangos picados).

Almoço:

Opção 1: Peixe grelhado + salada de alface e rabanete.

Opção 2: Filé de frango (sem pele) + salada de rúcula e repolho.

Lanche da Tarde:

Opção 1: Peito de peru.

Opção 2: Algumas colheres de cream cheese.

Jantar:

Opção 1: Uma lata de atum em conserva light (em água) + berinjela grelhada com um fio de azeite.

Opção 2: Filé de frango + salada de agrião ou couve (ou outra folha conforme sua preferência).

Confira abaixo outro exemplo de cardápio que segue as restrições da dieta hiperproteica, as combinações podem ser feitas de acordo com a preferência de cada um, desde que respeitando as quantidades diárias e os alimentos permitidos.

Café da Manhã:

Queijo minas + iogurte natural (sem açúcar).

Lanche da manhã:

Fatias de peito de peru defumado.

Almoço:

Omelete com queijo e presunto + salada de folhas de sua preferência.

Sobremesa: gelatina diet.

Lanche da Tarde:

Fatias de queijo mozzarella + xícara de café com leite ou apenas leite (sem adição de açúcar)

Jantar:

Filé de peito de frango assado + salada de folhas de sua preferência.

Sobremesa: gelatina diet.

Ceia:

Nessa hora o melhor é consumir apenas líquidos. Uma xícara de chá de ervas é a melhor opção.

Dicas para Seguir a Dieta Hiperproteica:

Uma das maiores vantagens dessa dieta, é o alto nível de saciedade por conta das proteínas. Se alimentando de fontes de proteínas em todas as refeições, nossos níveis de glicose não flutuam tanto, o que acaba nos mantendo satisfeitos por mais tempo. Além disso, mantendo os níveis de açúcar no sangue sob controle, o corpo não absorve tanta gordura, e acaba queimando-a como fonte de energia.

Apesar de tais benefícios, é importante se manter atento à algumas dicas para conseguir a perda de peso ideal com a dieta hiperproteica. Confira abaixo!

Evite tentações!

Não fique muito tempo sem comer.

Pratique musculação durante a dieta para ganhar a manter massa magra (e mantenha o exercício físico quando a dieta acabar também!).

Não faça substituições.

Não elimine as gorduras do cardápio.

Faça sua lista de compras do supermercado de acordo com os alimentos permitidos na dieta hiperproteica.

Se você tem problemas com o nível de colesterol, substitua o queijo por tofu em lanches, ou substitua o leite comum por leite de soja.

Mantenha a atividade física! Fazer exercícios de alta intensidade não combina com a dieta hiperproteica já que o seu corpo está acostumado a receber mais energia através dos carboidratos. Mas de qualquer forma, musculação e caminhadas leves devem fazer parte do seu programa e dia-a-dia, em geral, para uma vida mais saudável. Uma sessão de yoga ou alongamento também são ideias tanto para a dieta quanto para evitar o sedentarismo.

Perigos da Dieta:

Como a maioria das dietas restritivas, por conta do corte de carboidratos, a única fonte de energia será através de verduras, porém a quantidade presente nas verduras e muito menor do que o que é recomendado para o nosso dia-a-dia.

Dietas restringentes e que cortam completamente certos tipos de alimentos podem ser perigosas pois o nosso corpo necessita de certos nutrientes para funcionar de forma saudável.

Como resultado disso, vocês pode sofrer tonturas, desmaio, fraqueza e falta de foco. E por conta de tais efeitos, a dieta não deve ser seguida por mais de 15 dias. Se você sentir algum dos sintomas citados, a melhor opção é parar a dieta e introduzir os carboidratos novamente no seu dia-a-dia.

Essa dieta é recomendada para aqueles que precisam perder peso com urgência e/ou ganhar massa muscular, porém quem pretende aumentar seus músculos necessita de uma combinação alimentícia que envolve carboidratos. Por essa questão, a dieta hiperproteica pode não ser a melhor opção.

Independente de qual seja o seu motivo para buscar e iniciar a dieta hiperproteica, é sempre indicado procurar um especialista para receber orientação sobre os benefícios, riscos e a melhor forma de chegar ao seu objetivo pessoal.

Saudável ou Maléfica:

A dieta hiperproteica causa muita controvérsia. Apesar de ser uma dieta relativamente rápida, ela é extremamente restringente e faz o organismo perder muitos quilos em pouco tempo, algo que os nossos organismos não estão preparados para fazer.

Como a maioria das dietas, a dieta hiperproteica não evidencia uma reeducação alimentar ou um estilo de vida saudável, mas apenas um cardápio a ser seguido por duas semanas para perda de peso rápida.

Perder peso rapidamente não é natural para os nossos corpos, e é extremamente normal acontecer de quando saímos de uma dieta restringente, ganhemos todo o peso perdido de volta. Mais normal ainda é ganhar mais peso do que tinha antes da dieta.

Outro ponto importante é que a dieta hiperproteica proíbe alimentos saudáveis e naturais em prol da perda de peso. Mas se sabemos que as vitaminas e minerais são vitais para a nossa saúde, e que as frutas e cereais não são nossos inimigos, porque insistimos em dietas que desafiam o bom funcionamento de nossos organismos?

Siga a dieta hiperproteica somente sob recomendação médica. Em qualquer outro caso, estaremos muito mais saudáveis e seguros se buscarmos uma reeducação alimentar, com alimentos naturais, orgânicos e com uma combinação de todos os alimentos que necessitamos, na medida certa, sem exageros. Porque afinal de contas comer um brigadeiro de vez em quando não faz mal a ninguém, não é?

About Juliana C.